Notícias

Colheitadeira é investimento ou despesa? Ou é melhor terceirizar?

Sex, 28 de Agosto de 2020

 

Quando devo comprar uma colheitadeira? como posso saber se o equipamento é um investimento ou é uma despesa? Essas dúvidas foram relatadas - e debatidas - por Paulo Roberto Nicola, produtor rural de Santiago (RS), em sua 9a. entrevista aqui no Notícias Agrícolas sobre gestão financeira dentro da propriedade rural.

Desta vez, o foco foi no investimento em máquinas e equipamentos utilizados nas atividades dentro da propriedade rural.

Segundo Paulo Nicola, a aquisição de uma colheitadeira, pode exemplo, pode ser um excelente investimento desde que seu uso seja devidamente dimensionado "para não faltar e, principalmente, para não sobrar".

-- "A máquina você usa apenas numa ocasião (considerando a cultura da soja), e, na hora H, ela é fundamental... mas se a sua propriedade for menor do que a capacidade de operação do equipamento, a sobra pode se transformar em despesas que come seu lucro".

Para tanto, Paulo ensina usar uma planilha de custos, onde tudo deve ser lançado. Através dela, você pode ficar sabendo que a manutenção é um item que, às vezes, passa desapercebido, mas que, igualmente, consome seu lucro bruto.

Nicola usa sempre como referencia uma propriedade de 500 hectares de lavoura (que é o dimensionamento basico de um equipamento moderno) para comparar se a máquina é investimento - auxiliando na obtenção do lucro - ou é despesa constante. Com base nos resultados financeiros, o produtor pode se socorrer (como Paulo Nicola faz há muto tempo), às empresas terceirizadas.

-- "Com a terceirização ganho eu e o parceiro.. e o lucro fica em casa!"..

Assista a reportagem completa no vídeo abaixo!

Voltar

Índice PAB

26.11.2020
Soja (R$)PAB
143,001,50

Preço Bruto (Centro Oeste do RS)

Entenda o índice PAB
Paulo Nicola

Paulo Nicola

Agropecuarista e engenheiro civil formado pela FURG. Concluiu MBA em Factoring pela FAI. Em 1980 criou a Nicola Engenharia. Atua em planejamento administrativo, financeiro e desenvolvimento empresarial. Membro do conselho de administração do Grupo Nicola. Na região Centro-Oeste do Brasil, administrou uma propriedade rural com 27.000 hectares, e ao Sul, atividades de agricultura, pecuária de corte e gado de cria em áreas que totalizavam 6.000 hectares. Diretor financeiro da Nicola e Fernandes Ltda., empresa que apoia mais de cem pequenas e médias empresas e dezenas de produtores rurais.